Como abrir uma empresa em 7 passos

Primeiramente, se você chegou até aqui com o objetivo de saber como abrir uma empresa, tornar-se um empreendedor e ser o seu próprio patrão, quero te dar meus parabéns. Nós, empreendedores, é que fazemos o país andar, já que em uma ponta somos nós que geramos a maior parte dos impostos arrecadados pelo governo para subsidiar o país, e no outro lado também somos nós, os empreendedores, que criamos oportunidades que geram empregos, através da exposição ao risco, investimento e muito, mas muito trabalho.


Dito isso vamos entender então como abrir uma empresa, quais são os passos a seguir, e começar a prestar os seus serviços de forma legal!

Como abrir uma empresa no contexto brasileiro.

1 – A escolha e registro do nome

Esta é praticamente a primeira decisão que você tem que tomar como futuro empresário, e por mais fácil que pareça, não é uma tarefa simples.

A escolha do nome implica no principal ativo da sua empresa no que se diz respeito a lembrança de marca por parte dos seus futuros clientes, é claro que a lembrança de marca ou “mind share” da sua empresa depende muito da divulgação, mas fazer uma marca que é difícil de lembrar “colar na mente” dos seus potenciais clientes é muito mais difícil e com certeza vai consumir muito mais investimento em marketing mais pra frente.

Para escolher o melhor nome para sua nova empresa olhe para algumas marcas que deram certo e busque características que inspirem você. Profissionais de publicidade costumam dar as seguintes dicas sobre este passo:

  • Escolha nomes preferencialmente curtos, fáceis de se escrever e pronunciar.
  • Tenha cuidado para alinhar o nome ao contexto dos serviços que serão prestados.
  • Evite nomes que contenham palavras em outra língua, a não ser que seu público seja qualificado ou o termo apesar de estar em língua estrangeira é de uso comum no Brasil. Exemplo: “Shopping dos Móveis”, “Cachorrão Hot Dog”, etc…
  • Evite colocar o nome da sua cidade no seu negócio caso você tenha ambições maiores. (Acredite: como empreendedor, você terá).

E para finalizar, assim que escolher o nome do seu negócio pesquise se ele está disponível para registro, tanto como razão social como para marca comercial, apesar de não necessariamente precisar ser o mesmo. Onde pesquisar:

• Razão Social:

No site da Junta Comercial do seu estado. Em alguns estados, a junta comercial ainda não conta com busca de registros em seu site, neste caso, a pesquisa tem que ser feita pessoalmente no balcão de atendimento do órgão ou com ajuda do seu contador no momento de registrar o contrato social.

• Marca:

Como eu expliquei acima a marca é basicamente o nome fantasia da sua empresa, e pode ser diferente da Razão Social. A marca é o nome comercial da sua empresa, e é por ela que os seus clientes reconhecerão o seu negócio! Você pode pesquisar se sua marca já foi registrada por alguém no site do INPI:

https://gru.inpi.gov.br/pePI/jsp/marcas/Pesquisa_classe_basica.jsp

• Domínio na internet:

Nos dias de hoje, tão importante quanto acertar na escolha do nome é conseguir registra-lo em um domínio na internet de fácil memorização e associação a sua marca. Quem é que não quer registrar o “nomedamarca”.com.br ? Mas nem todo mundo consegue: como o registro de domínio na internet é muito barato e livre de burocracia, muitas pessoas registram domínios mesmo sem abrir empresa. Para pesquisar domínios existentes acesse: https://registro.br/


2 – A definição da atividade

O próximo passo para a abertura da sua empresa de serviços é a definição da atividade econômica principal, e se for o caso, atividades secundárias que devem ser complementares a atividade principal.

A definição da atividade é um importante passo no processo de abertura pois influencia diretamente a escolha do tipo de enquadramento fiscal disponível para a sua empresa (algumas atividades por exemplo não podem optar pelo regime do Simples Nacional), assim como também determina se sua empresa precisará de licenças especiais de funcionamento como a Cetesb ou ainda alguma autorização de órgão de classe como os Conselhos Regionais.

Você pode buscar a classificação e descobrir o código CNAE da sua atividade no site do IBGE no link: http://concla.ibge.gov.br/busca-online-cnae.html

Não deixe de consultar um contador para auxiliá-lo neste processo pois a escolha errada da atividade fim além de incorrer em riscos de multas por fiscalização, podem gerar pagamento de impostos indevidos e custos com alteração de contrato social para realizar a necessária correção.



3 – A escolha do tipo de empresa

Agora é hora de escolher o tipo de empresa de serviços que você vai abrir. Basicamente as opções para pequenas empresas são:

  • MEI (Micro Empreendedor Individual)
  • Empresário Individual
  • Sociedade Limitada (LTDA)
  • Eireli (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada)

Uma análise mais aprofundada sobre qual o melhor tipo de enquadramento para sua nova empresa daria com certeza um outro artigo até maior do que este (que em breve faremos) mas por hora vamos focar nas principais diferenças entre estas 4 possibilidades:

• MEI

– O microempreendedor individual é uma nova categoria de empresas criada recentemente pelo governo para viabilizar a formalização de pequenas empresas e prestadores de serviços autônomos que não estejam formalizados nas categorias pré-existentes. É um formato mais “light” para abrir empresa, pois demanda menos burocracia para a abertura e possibilita um custo tributário mais acessível pois limita o pagamento dos impostos a uma única guia de R$ 49,00 no caso de prestação de serviços.

• Empresário Individual

– O empresário individual (anteriormente chamado de firma individual) é aquele que exerce em nome próprio uma atividade empresarial. É a pessoa física (natural) titular da empresa. Difere basicamente do MEI no teto do faturamento pois não limita o faturamento anual em R$ 60 mil e no fato em que nesta modalidade o patrimônio da pessoa natural e o do empresário individual são os mesmos, logo o titular responderá de forma ilimitada pelas dívidas.

• Sociedade Limitada (LTDA)

– Basicamente na sociedade limitada (LTDA), a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas, mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social, ou seja, é obrigatória a participação de ao menos dois sócios, e em caso de falência, a responsabilidade dos sócios fica limitada ao capital social integralizado, o que sem dúvidas é muito mais seguro.

• Eireli (Empresa Individual de Responsabilidade Limitada)

– A “Eireli” é uma categoria empresarial que permite a constituição de uma empresa com apenas um sócio: o próprio empresário nos mesmos moldes de uma sociedade limitada (LTDA), ou seja, com limitação da responsabilidade do sócio ao capital social integralizado no contrato social. No entanto existe uma exigência mínimo de capital social integralizado no valor de 100 salários mínimos.

Se você tiver dúvidas sobre qual a melhor escolha para abrir empresa que você quer, clique aqui e fale com um dos nossos consultores.


4 – A elaboração do Contrato Social

O contrato social é o documento que determina as relações societárias da empresa. É um documento de extrema importância e exatamente por isto não é recomendado que se use qualquer modelo no estilo “template” disponíveis aos montes na internet, sem uma análise séria sobre as características individuais da empresa que você irá criar.

As principais informações que você precisará levantar, assim como as principais decisões que você e seu sócio (se for o caso) precisarão tomar e que deverão constar no contrato social são:

• Endereço da empresa

– Solicite a um contador que realize a pesquisa de viabilidade comercial do local através do endereço registrado da contra-capa do IPTU do imóvel que você escolheu para ser a sede da empresa.

• Divisão de Cotas

– Define a participação percentual de cada sócio assim como sua responsabilidade econômica dentro do capital social.

• Capital Social

– Valor do capital social integralizado e/ou a integralizar. Tal valor deve ser equivalente ao valor total investido ou a integralizar pelos sócios na empresa; seja através de aporte financeiro ou através de transferência de máquinas, equipamentos ou outros bens.

• Definição de Sócio(s) Administrador(es)

– Um ou mais sócios devem receber a função de administrador do negócio. Entretanto, a função pode ser transferida, desde que previsto em acordo ou que se forme um novo acordo consensual.

• Retirada de pró-labore e distribuição de lucros

– O valor pago a cada sócio também deve estar expresso no contrato da sociedade, seja em formato de pro labore ou distribuição dos lucros. Caso opte por determinar esse valor em outro momento, esta informação deve estar detalhada em contrato para sua posterior inserção no documento.

• Regras de saída de sócios ou dissolução da sociedade

– Aqui vai uma dica para os mais “pés no chão” já que geralmente na empolgação de se investir em um negócio próprio em sociedade com outra pessoa poucos pensam na possibilidade do negócio não dar certo. Como diz o velho ditado: “o seguro morreu de velho” e deixar claro no contrato social as regras para a saída de um dos sócios ou dissolução da sociedade sempre evita, ou pelo menos minimiza, as brigas por questões societárias.



5 – O Registro da empresa

Agora com o contrato social pronto e em mãos nossa saga para a abertura da sua empresa de prestação de serviços finalmente está chegando perto do fim. Agora basta registrar o seu contrato social na Junta Comercial do seu Estado, e na Prefeitura Municipal da sua cidade. Em alguns casos específicos o registro pode ser feito no cartório de pessoa jurídica do seu município, consulte um advogado ou contador para verificar o caso da sua empresa.

O primeiro órgão a se registrar sua empresa é a Junta Comercial, pois a partir deste registro é que sua empresa adquire o número do CNPJ e passa a existir oficialmente. Embora esse registro sozinha ainda não seja suficiente para você iniciar as atividades da sua empresa, ele é com certeza o primeiro passo a ser dado.

O segundo passo é registrar então é registrar sua empresa de prestação de serviços na Prefeitura do seu Município. A maioria das prefeituras municipais contam com um balcão de atendimento exclusivo para empresas para resolver questões específicas de abertura de empresas de serviços e ISS (imposto sobre serviços) e é neste balcão de atendimento que você deve dar entrada na solicitação de Inscrição Municipal da sua empresa.


6 – Compra do Certificado Digital

Para conseguir emitir suas notas fiscais de serviços eletrônicas (NFSe) você precisará de um certificado digital para a sua empresa. Basicamente existem 2 tipos diferentes; o modelo A1 e o modelo A2.

Para prestadores de serviços sugerimos a compra do modelo A1, que é o mais indicado para empresas que precisam utilizar um emissor de NF-e online ou ERP online como o sistema DNA Financeiro, pois este por se tratar de arquivo digital pode ser importado para dentro do sistema online, permitindo a emissão de NF-e por qualquer funcionário em qualquer computador, tablet ou celular conectado a internet.

Para saber tudo sobre certificado digital clique aqui e leia nosso blog post completo sobre o assunto.


7 – A Organização Financeira, Contábil e Fiscal do dia a dia da Empresa.

Agora que você já conseguiu abrir formalmente a sua empresa de prestação de serviços preciso dizer a você que o seu trabalho apenas começou. Você pode até descansar um dia e tomar um ar, mas agora, com sua empresa pronta para funcionar chegou a hora de sentar e planejar toda a rotina de organização financeira, contábil e fiscal do seu negócio.

Como não é o foco deste post, vou citar apenas três pontos principais que se você colocar em prática já sairá na frente de 95% dos empreendedores;

• Mantenha um arquivo organizado de todos os documentos da sua empresa

– Mensalmente você precisará enviar ao seu contador suas notas fiscais de prestação de serviços, notas fiscais de compra, despesas, entre outros documentos, por isso é imprescindível que você mantenha uma organização destes documentos físicos ou digitais para que você gaste o mínimo tempo possível na hora de procurar tais documentos.

• Implante um bom Controle Financeiro

– O sucesso de sua empresa depende da mesma ter lucro e dinheiro em caixa, mesmo que no início a grande maioria das empresas iniciem deficitárias por estarem em fase de investimento, o foco na lucratividade e geração de caixa deve ser constante e permanente. Há algum tempo atrás nós criamos um e-book completíssimo sobre gestão de fluxo de caixa para pequenas empresas, além de outros materiais gratuitos sobre gestão financeira para ajudar empreendedores de todo o Brasil. Estes materiais já foram baixados por milhares de empreendedores prestadores de serviços, portanto não deixe de baixar estes materiais você também. Para baixar gratuitamente estes materiais gratuitos e exclusivos acesse nossa página de materiais educativos clicando aqui.

• Acerte na contratação do seu Contador

– Escolher o escritório de contabilidade que vai atender sua empresa é uma decisão importante e fundamental, pois a escolha errada pode custar caro e gerar muitas dores de cabeça.
Além é claro do cuidado em escolher uma empresa devidamente registrada no CRC (Conselho Regional de Contabilidade) sempre considere alguns pontos que são importantes na escolha do seu contador que podem fazer toda a diferença na futura parceria:

  • A experiência da empresa de contabilidade em atender empresas de serviço.

  • O nível de atualização dos profissionais do escritório contábil.

    Neste caso a quantidade de “conteúdos ricos” que a empresa gera mensalmente e posta em seu blog post ou envia a você por e-mail diz muito sobre o nível de atualização dos seus profissionais, fique de olho nisto.

  • A satisfação de outros clientes prestadores de serviços.

  • O nível de tecnologia e organização dos processos empregados em atender os clientes.

    Este ponto é geralmente ignorado por empreendedores na hora de contratar um escritório de contabilidade mas diz muito sobre a qualidade do atendimento que você irá receber depois.



E para finalizar, fique atento ao nível de transparência da empresa de contabilidade ao escolher um parceiro para sua empresa. Todos os meses seu escritório contábil tem que realizar muitas rotinas legais e contábeis para a sua empresa, e muitas delas se não realizadas podem gerar multas e criar muita dor de cabeça para você no futuro. Sempre dê preferência para empresas de contabilidade que forneçam a você o acesso em tempo real a todos os protocolos de entrega das obrigações acessórias, balancetes e livros contábeis e fiscais.

Gostou deste conteúdo? Então comente abaixo o que achou ou compartilhe suas dúvidas com a gente! Nossa equipe está pronta para ajudar você abrir empresa de prestação de serviços ou melhorar seus números.

comments powered by Disqus